Sprint ou maratona?

Já parou para pensar com que ritmo tem vivido a sua vida?
Até 2012 vivia num verdadeiro sprint. Na altura tinha 36 anos e não conhecia outro registo senão o de, “tudo tem que acontecer aqui e agora”.

Não tinha paciência para o que não dava resultados imediatos, quer na minha vida profissional, como na vida pessoal.

Veio então o universo dar-me uma grande lição e não tive alternativa senão mudar de registo. Não só me tornei mãe – que nos dá uma perspectiva totalmente diferente do tempo, a todos os níveis – como um problema de saúde me obrigou a gerir de outra forma a minha capacidade de andar, ouvir, conduzir e executar algumas das tarefas que tornam um adulto totalmente autónomo.

Ao fim de sete anos, estava novamente apta para praticar desporto. Que ideia assustadora para quem toda a vida praticou desporto e depois tem que parar durante sete loooooongos anos.
Já não ia pertencer ao grupo das mais elegantes do ginásio; já não ia conseguir nem fazer o básico do que qualquer pessoa faz num ginásio; já não conhecia muitos dos aparelhos para exercitar o corpo que, entretanto, surgiram… que ideia assustadora… e o personal trainer? Iria ter paciência para treinar uma pessoa que nem uma linha reta conseguia percorrer a direito?


Depois de uma criteriosa seleção, e por sugestão de outros treinadores muito experientes, com Pedro Santos comecei a escrever um novo capítulo da minha vida.

Com uma calma e segurança contagiantes, o Pedro fez-me perceber que estava a voltar à velha mania de querer viver a vida como se fosse um sprint.
Começou por me ensinar a respirar. Ensinar a respirar???!!! Sim.
Com ele aprendi que tudo começa na forma como introduzimos o ar no nosso organismo. Não deve ser de qualquer forma. É esse processo que nos permite viver e, como tal, deve ser cuidado, consciente e levado muito a sério.

Com o Pedro também percebi quais eram as capacidades e limites do meu “recente” corpo. Um corpo que ainda não tinha tido a coragem de explorar e que agora me assustava tremendamente. O meu PT estava agora a ensinar-me a descobri-lo e a deixar de ter medo dele.
Com muito conhecimento, experiência e uma paciência extraordinária, Pedro Santos fez-me perceber que a vida não é um sprint mas sim uma maratona que deve ser percorrida com toda a atenção, carinho e dedicação que o nosso corpo merece.
Fez-me perceber que, por maiores que sejam os obstáculos, a nossa mente dá-nos sempre janelas de oportunidade, que só temos que reconhecer e agarrar.

Falo-vos do Pedro porque infelizmente, por fatores que me ultrapassam, tive que deixar de treinar com ele há alguns meses. Mas hoje, para grande surpresa minha, o Pedro contactou-me. Queria saber se continuava a treinar, como estava. Não quer que eu perca o ritmo desta longa corrida, mesmo sem ele.

Este gesto marcou-me muito e são atitudes como esta que distinguem os excelentes profissionais e os bons seres humanos.
Obrigada Pedro Santos.
“Passei e Gostei” muito de ter conhecido o melhor Personal Trainer de Oeiras e arredores.


Deixar uma resposta