Perguntei a Richard Zimler porque gosta de Portugal e dos portugueses

Porque gostam de viver em Portugal? O que gostam nos portugueses? Estas são perguntas que sempre tive vontade de fazer a escritores, escultores, pintores, atores, bailarinos, empreendedores e investidores estrangeiros que optam por viver no nosso país e, cujo talento tanto contribui para a nossa cultura e economia.
Para minha surpresa – independentemente de alguns serem mais ou menos conhecidos pela nossa sociedade – todos aceitaram gentilmente o meu convite.
Para além de me terem disponibilizado o seu tempo, os seus testemunhos são ricos, cheios de generosidade e gratidão pelo povo português.
Começo por partilhar as palavras de um premiado escritor, jornalista e professor norte-americano de quem sou fã.
Os seus livros marcam-me profundamente, pela sua sensibilidade, absolutamente ímpar.


Richard Zimler, que entretanto passou a ter também naturalidade portuguesa, nasceu em 1956, em Roslyn Heights, um subúrbio de Nova Iorque. Em 1990 foi viver para o Porto, onde lecionou Jornalismo, primeiro na Escola Superior de Jornalismo e depois na Universidade do Porto.
Depois do grande sucesso de O último Cabalista de Lisboa, o seu primeiro romance, Richard Zimler publicou mais de dez livros, entre os quais romances, livros para crianças e uma coletânea de contos.

Sobre os Portugueses
RZ: Agradeço todos os dias aos meus leitores portugueses. Param-me na rua com muito frequência e agradecem os meus romances. O seu carinho e simpatia fazem-me sentir apreciado em Portugal e dão-me mais energia para escrever.
Gosto da diversidade de etnias e culturas que encontro em Lisboa e, em menor grau, no Porto. Pouco a pouco, o país está a ficar mais multicultural.
Acho muito bom que a vida privada de uma pessoa ainda seja considerada exatamente isso – privada. Inclusive a dos políticos, que não são obrigados a discutí-la publicamente, como nos Estados Unidos.


Sobre a Gastronomia
RZ: Estou grato pelo facto dos portugueses ainda apreciarem a boa comida e um bom vinho. Mesmo em vilas pequenas é fácil encontrar um café ou restaurante com comida saudável e caseira. Ao contrário de alguns países, onde as pessoas comem imensa “junk food”.
Sobre o Governo
RZ: Estou muito satisfeito por termos um governo progressista que entenda a diferença entre a educação e o treino. O governo neoliberal anterior acreditava que era suficiente treinar os alunos para trabalhar numa fábrica, num hotel ou restaurante. O governo actual reconhece que uma educação adequada e abrangente é importante para todos os nossos jovens.
Comprende que temos que ter um sistema público de educação robusto para que possamos criar um corpo de cidadãos instruídos e responsáveis (e para que possam competir no mundo actual).
Sobre as Cidades, Vilas e Aldeias 
RZ: Adoro as pequenas vilas e aldeias, especialmente aquelas que são pintadas de branco e muito limpas, como no Alentejo.
A arquitetura tradicional portuguesa acrescenta à paisagem uma harmonia reconfortante.
Gosto dos jardins e flores em Portugal. Tenho muitos amigos que cultivam as suas próprias frutas e legumes e até flores! Isso faz com que os jardins tenham um aspecto colorido e acolhedor. As árvores, arbustos e flores tornam as cidades, vilas e aldeias mais habitáveis.
Aprecio a segurança em Portugal. É um país bastante pacato, com baixas taxas de violência, em comparação com o Brasil ou os EUA. Sinto-me completamente à vontade quando estou a andar nas ruas do Porto, Lisboa ou de qualquer outra cidade.
Sobre o Talento Português
RZ: Sou fã da nova geração de cantores de fado – Cristina Branco, Ana Moura, Mísia, Aldina Duarte, Ricardo Ribeiro e muitos outros. Também sou um grande fã de Amália Rodrigues.
Gosto muito de alguns músicos de jazz e rock, especialmente Pedro Abrunhosa.
Admiro muito alguns artistas plásticos portugueses – como Júlio Pomar e Paula Rego – e artistas menos conhecidos, como Carlos Nogueira, Brígida Machado, Ricardo Leite, Ana Fernandes e Cristina Troufa.
Portugal também tem talentosos ilustradores de livros, como Bernardo Carvalho e Aurelie de Sousa.
Admiro muitos poetas e autores de prosa portugueses, entre outros, Miguel Torga, Eugénio de Andrade e Al Berto.
Aprecio muito a minha editora portuguesa, Porto Editores. E também a minha ex-editora, Maria da Piedade Ferreira. Gente impecável!
Estou muito grato que as minhas contribuições para a sociedade e a cultura portuguesas tenham sido reconhecidas pela cidade do Porto, que me deu a Medalha de Honra, em julho de 2017.

Obrigada Richard Zimler.
“Passei, gostei e foi um privilégio e uma honra receber as suas palavras.”

2 comentários

  1. Estava pesquisando sobre o Richard Zimler (escritor que adoro) e gostei muito da entrevista e também de conhecer o seu blog. Parabéns!!!!!

    1. Muito obrigada pelas suas palavras, Mónica.
      São comentários como o seu que me fazem acreditar que vale a pena ter criado este cantinho.
      Um grande abraço, cheio de energia positiva 🙂

Deixar uma resposta