O “puto que não sabe rimar” criou a banda sonora do meu 2019

Com um mês de idade fui para a Ribeira Grande, ilha de São Miguel, Açores. Por lá passei uma grande parte da minha infância. Entre vacas, nascentes de água quente, areia preta e o funcho que apanhava na beira da estrada enquanto contemplava as hortenses, construí memórias inesquecíveis.
Quando vim, temporariamente, sozinha para o Continente – com apenas cinco anos – não tinha ninguém para traduzir o que dizia e isso frustrava-me muito. Ninguém percebia a minha pronúncia micaelense e quando pedia uma “juinga”, um “carrilho” ou dizia que tinha que cortar a “guedelha” todos gozavam comigo.

Em 2018 tive a alegria de conhecer o açoriano mais divertido deste planeta, Pedro Medeiros (que, por acaso, é também um dos melhores personal trainer nacionais). Quando me disse que ia passar o Natal a São Miguel pedi-lhe para me trazer um presente divertido.
Mandou-me o presente mais divertido e original de sempre!!! Não podia ser mais típico. Uma música de Balada Brassado.
Confesso que não conhecia esta música mas acabo de a eleger como a minha banda sonora para entrar em 2019. É mesmo esse o espírito. Espetacular!

Tema: Balada Brassado – A gente vai se consolar
Música e Letra: Balada Brassado

Maravilhoso! Só matar saudades desta pronúncia micaelense já vale ouro.
Senhores da publicidade ponham os olhos nestes meninos!!! Viva São Miguel. Viva o humor açoriano que dispõe tão bem. 
Garanto-vos que em 2019 vou-me “consolar”.
Puto, sabes rimar e tenho a certeza que famoso vais ficar ;)! Quanto mais não seja, no “Passei e Gostei!”.
Feliz Ano Novo!

E para quem não percebeu nada, aqui fica a letra:

Isto é uma música que eu vou fazer
Aqui para a minha malta
Que não sabe o que é que há de fazer da vida
Que está praí, caida para um canto
À espera que as bananas lhe caiam no colo
Isso é assim:

Sou um puto que não sabe rimar,
Que tem medo de atuar,
Que não tem nada para dar.
E eu sei que dinheiro eu não vou ganhar,
Nem famoso eu vou ficar,
Se eu não quiser me esfolar.
Nada cai do céu, nada cai do céu,
A não ser avians (aviões),
Queres ou não queres a Maria dos Anjos?
É que se queres vai atrás dela,
Não fiques esparramado,
Beber meio e fumar um não te leva a nenhum lado.
Foste medalha de ouro no liceu.
Comeste a melhor loura do Coliseu,
E agora estás assim.
Pensavas que nesta vida era tudo dado,
Só porque tinhas facilidade,
Mas não é assim.
Tens que gemer,
E gemer,
E gemer mais um bocadinho.
Sou um puto que não sabe rimar,
Que tem medo de atuar,
Que não tem nada para dar.
E eu sei que dinheiro eu não vou ganhar,
Nem famoso eu vou ficar,
Se eu não quiser me esfolar.
Nada cai do céu, nada cai do céu,
A não ser avians
Rendimentos minimos é para bazans
Lavra, pesca, coze, passa
Não fiques é quieto
Que não tem graça.
Podes fazer o teu destino,
Só precisas de ter um bocadinho de tino.
Lembraste dos sonhos que tinhas em pequenino?
Sou um puto que não sabe rimar,
Que tem medo de atuar,
Que não tem nada para dar.
Mas eu sei que isso vai mudar,
E que a ilha vai de cú para o ar,
A gente vai se consolar.

https://www.facebook.com/baladabrassado/

Deixar uma resposta